"

My Photo
Name:
Location: Portugal

27 November, 2008

O Rock das asas está de volta


Apesar de já não ser novidade para muita gente que joga o Guitar Hero 3, achámos que seria curioso aqui prestar a devida homenagem a pessoas que não têm vergonha de voltar atrás no tempo. O que importa a evolução? Se o rock autêntico está no antigamente, então saltar-se-á por cima dos anos 90 para chegar à raíz. Foi isto que fizeram os DragonForce.

O facto de serem uns virtuosos excepcionais do rock n' roll é uma das coisas a reter desta banda - especialmente os guitarristas -, mas o destaque vai mesmo para o "stylezito" rock sinfónico dos anos 80, em especial o cabelo e a voz do vocalista. Muito bom.

Aconselha-se posteriores pesquisas no You Tube, com especial atenção ao carácter épico dos títulos das músicas e tendo sempre em conta que estamos em 2008.

Esta música catapultou os DragonForce porque é qualquer coisa como um dos últimos níveis do jogo de PlayStation, Guitar Hero 3: Through the Fire and Flames (2006):



THROUGH THE FIRE AND THE FLAMES WE CARRY ON!!! heheh SO MANOWAR!

24 November, 2008

Terá o choque sido só tecnológico?


Ainda na política...

O facto de Manuela Ferreira Leite ter sido protagonista em duas recentes introduções textuais que os tradutores brasileiros deste serviço internético gostam de chamar "postagem"; não quer dizer que este blogue seja partidarista seja do que for.

E é por isso que vamos tentar fechar este ciclo de falar sobre política sem o expertise de Nuno Rogeiro (sim, esse mesmo, o comentador mais abrangente da televisão e aclamado afilhado de Marcello Caetano).

Tem-se assistido, desde a frente russa à frente ocidental, a marchas e protestos contra o governo, vindos dos mais variados quadrantes político-sociais e profissionais - e em formato dilúvio. Será isto normal para um governo que se diz "de esquerda" (o que quer que essa expressão signifique hoje em dia)? Será que os profissionais têm razão para protestar ou está tudo a pagar o preço da mudança? Será que o governo está a fazer um trabalho bom ou mau? Alguém pode explicar? Uma coisa é certa, de economias e finanças o quadro não é tão cor-de-rosa como se pintava há uns tempos e, crises e tendenciosismos à parte, há jornais internacionais a acharem que o ministro das Finanças é o pior da Europa.

Será que o Magalhães nos vai salvar? Ou será que nos estamos a salvar a nós próprios, sem sabermos como o governo o está a fazer? Isto é tudo estranho, esquisito, com muita dificuldade de leitura e era bom que alguém explicasse - sem ser o Nuno Rogeiro, que essa toda a gente sabe que ele já sabe.

Escuta, câmbio.

21 November, 2008

Manda quem pode, obedece quem deve.


Este blogue já tinha avançado a ideia de que Manuela Ferreira Leite podia ter sido uma das mulheres de Salazar. De facto, o look está perfeito e o estilo tem tudo a ver, mas esta pérola deixada no dia 18 é um sinal de que a senhora e o Doutor António, aquilo poderia ter ido a algum lado.

Manda quem pode, Obedece quem deve. Isto é uma grande verdade do tempo em que "Portugal não era um país pequeno". E porque reformas em democracia são só para quem pode mandar, obedece quem deve até estar "tudo na ordem" (repare-se, "na ordem" e não "em ordem"):
«Eu não acredito em reformas quando se está em democracia, quando não se está em democracia, é outra conversa, eu digo como é que é e faz-se; e até não sei, se a certa altura, não é bom haver seis meses sem democracia, mete-se tudo na ordem e depois então, venha a democracia».

Seria ironia? Só podia ser...

17 November, 2008

Groove Intercourse no Restaurante Alfândega, Sábado 22 de Novembro




Para quem não conhece, aconselha-se o funk desta verdadeira equipa de futebol musical, capitaneada pelos batuques inexcedíveis de Phillis Bongo.

12 November, 2008

A origem do "Pá"


Uma coisa engraçada sobre a qual nunca ninguém reflectiu e que é uma das interjeições mais portuguesas de Portugal. "Pá, não faças isso". "Oh pá, não!". "Fogo, pá". "Eh pá, não sabia". "Que merda é essa, pá?" É uma expressão engraçada, porque além de completamente desnecessária assume a estranha forma de "pá". Será "pá" o objecto de cavar ou meramente um dejecto fonético que é inconscientemente aproveitado pelo sujeito tuga, para dar ênfase àquilo que diz? Ou ainda um reboscado e completamente desprovido de sentido aproveitamento da expressão "pas" do francês?

Procurámos na net, mas não encontrá-mos nada que nos explicasse a origem e o sentido de existir o "pá". Será que uma coisa maçónica e que só eles podem desvendar o mistério?

Pensai, reflecti e comentai se tal vos aprouver...

03 November, 2008

Mais um Jakovny


OK, sabendo que não se escreve nada nesta coisa que mereça qualquer tipo de atenção há quase um mês, é tempo de não voltar a escrever, mas antes e mais uma vez promover a próxima enxurrada de Play, Stop e Eject desse grande heterónimo Jakovny.

É Sexta-feira, dia 7 de Novembro às 23:00 no Bacalhoeiro, Rua dos Bacalhoeiros 125. Venham dar mais uma força ao Jakovny!