"

My Photo
Name:
Location: Portugal

28 January, 2008

Uma salada de ideias sobre o Estado Policial Português


O cidadão que sai de casa de carro à noite a uma Quinta, Sexta ou um Sábado em Lisboa é desde logo um potencial criminoso.

Primeiro, porque quer sair de casa à noite e está a complicar as intenções do governo para aplicar uma quase lei marcial; porque hoje, se andar na rua à noite sem ninguém por perto não constitui qualquer perigo, estar numa concentração de pessoas é sinónimo de rusgas e ponto de passagem do corpo de intervenção.

Segundo, vai de carro, e andar de carro em Portugal é uma responsabilidade burocrática, cuja importância ultrapassa a do IRS, não fosse a caça à multa uma importante fonte de receitas. Portanto o cidadão é um pontencial criminoso, porque confirmando-se que cometeu o hediondo crime de não pagar o seguro do carro a tempo, levam-lhe a vida.

Terceiro, porque ai meu Deus José, que é que andastes a fazer? Andastes a beber? Andastes a fumar? Vens de onde? Vais para onde? Quem te disse que tinhas vida privada?

Não, os condutores que espalham o perigo nas grandes avenidas próximas das concentrações de estabelecimentos já não são o problema. O problema mesmo é ao chegarem a casa poderem ser julgados como se estivessem a cometer o pior dos crimes. No caso do alcoól, uma máquina diz que uma pessoa é "um perigo". No caso da velocidade, porque uma pessoa, que vai com pressa, mas dentro dos limites, sem querer passa no radar e vai um bocado mais rápido do que devia. No caso burocrático, parece um massacre sócio-económico aquilo que estão a fazer, porque é um atentado terrorista não ter os papéis em dia.

E por causa disto, por causa do carro, porque queremos ir daqui para ali. Carro? Não, só para quem tem chauffeur! E quem puser a pata na poça ui, levas com 100 contos de multa e trezentos e cinquenta mil anos sem carta, e ainda vais a julgamento!

Este misto de ideias para dizer: estamos revoltados com este estado asfixiante, com notas de autoritarismo que se está a passar aqui. Estamos fartos de Polícia! Já não podemos com bófia! Deslarguem-nos à gente!

PS: Mais uma entrada menos bem conseguida. Não, a nós não nos aconteceu termos sido apanhados na grande teia do chupa-chupa, mas poderá acontecer a qualquer um, como sempre acontece a todos os terroristas sem selo do carro.

16 January, 2008

Apoia o Grémio Lisbonense!


Quem conhece a história que nos leva tão fugazmente a esta entrada deve estar a rir-se. Pois, resumidamente, o nosso contacto com o Grémio Lisbonense acabou por ser uma surpresa em si mesma. Dirigimo-nos lá para organizar uma iniciativa no espaço e saímos de lá sócios da colectividade. Para quem não sabe, esta é há 6 meses encaminhada por sóci@s com mais juventude, guiando esta mítica associação para os roteiros da cultura alternativa, mantendo, claro, a tradição jogo de mesa e do convívio à antiga do lendário clube de Lisboa.

A provar que não é preciso ser-se um arrogante Professor universitário para se fazer coisas que dinamizam a sociedade, e sobretudo numa terrinha onde as pessoas gostam de rebanhos; estão estas três pessoas que entraram no Grémio Lisbonense, ao Rossio, para fazer daquela histórica associação um ponto de fuga para quem quer imprimir a sua própria visão de cultura, arte, o que seja. Basta consultar o blogue da casa para perceber a capacidade de iniciativa da organização. Ontem fomos à Roda de Choro, música tradicional zuca, com um grande feeling a danças de salão, boa atmosfera, uma noite originalíssima com gente de todos os estilos em harmonia. E esta é só uma das muitas sugestões!

Porém, como aqui raramente há bela sem senão, agora que o Grémio Lisbonense tem uma nova vida; quase coincidentalmente, já a autoridade quer matar o que ali se passa, apesar de a ASAE ainda não dispõr das armas legais para entrar dentro das colectividades deste género, assim o dizem. Então pega-se por outro lado, e assim está o Grémio Lisbonense com uma ordem de despejo pelo senhorio. Para os sócios idosos que passaram a sua vida em jogos de mesa, todos os dias, neste clube que foi fundado em 1843; é algo chocante, e muitos deles nem se apercebem do perigo que esta mais que esta centenária casa corre neste momento.

Ainda assim, até ao dia do "juízo final", aquelas três pessoas continuarão a lutar, num exemplo único do que é o "meter-se numa cena". Aquele grupo "meteu-se mesmo na cena" e tenta juntar velhos e novos em todas as actividades, debaixo de um tecto que, apesar de precisar de muitas obras, chega para albergar um dos espaços sócio-culturalmente mais dinâmicos de Lisboa. E precisam do apoio de todos!

Dia 9 Fevereiro, os autores unipessoais deste blogue, sob o heterónimo Jakovny vão organizar uma festa Balkana no Grémio Lisbonense (ao Rossio, Rua dos Sapateiros, frente ao Animatógrafo/Peep-show). É bom que os três ou quatro gatos pingados e o resto dos gambuzinos que lêem isto apareçam, e tragam os amigos e a família.

Até lá, passem pelo Grémio, até durante o dia, nem que seja para a vista única para o Rossio; e consultem o programa no blogue www.gremiolisbonense.blogspot.com; cujo link estará colocado de forma permanente nesta página. Vaiem lá! De dia, de noite, façam-se sócios para ajudar a associação (jóia=5 euros; mensalidade=2,50 euros).

Onde é que eu já ouvi este paleio de solidariedades? Sim, finalmente também o fizemos, tinha de haver uma primeira vez, e ao menos não é para Maddie...

APOIA O GRÉMIO LISBONENSE!

11 January, 2008

Mini-conselhos inúteis quotidianos...


Queremos chamar a atenção para um problema grave nesta nossa sociedade. Levantemos por isso o megafone e gritemos bem alto contra os mini-conselhos inutéis quotidianos. E o que são mini-conselhos inutéis quotidianos? Ora bem, mini-conselhos inúteis quotidianos são aquelas dicas preciosas que recebemos sempre que fazemos alguma coisa que, ou fazemos todos os dias, ou então já fizemos 50 vezes. É tipo ensinar a missa ao padre, mas sem se poder dizer que é uma missa.

Ora bem, quando, imaginemos, o vosso pai vos empresta o carro dele, por alguma razão, não aocntece dizer "sim, toma lá a chave, mas não percas!" Porquê não percas? Dão-nos uma chave, e só pelo simples facto de sermos nós há mais probabilidades de que se perca?

Ou, por exemplo, quando vamos para a casa de férias de alguém, "não te esqueças, quando ligares o gás não tenham nada aceso ao pé". Qué'iss? Então mas, e não sabíamos isso? Ou então, "à noite não durmam com as velas acesas". Pá, pefavore!

Às vezes pedimos "eh pá, agora fiquei sem saldo, deixa-me só fazer uma chamada do teu telemóvel só para dizer aqui uma coisa." Resposta: "OK, mas não demores muito". Será que quem empresta pensa sempre que vamos gastar o saldo todo?

À falta de assuntos mais relevantes e mais benéficos para a felicidade do mundo, aqui fica mais uma entrada daquelas, com espeança que esta crise de ideias desapareça tão rapidamente como apareceu.

;(

03 January, 2008

Sugestões para 2008 é uma tanga


Não gostamos de sugestões, nem de resoluções, nem de promessas, nem dessas previsões que tais para o ano novo. De qualquer maneira, tendo andado com a cabeça onde ela deve andar, ou seja, longe de escrever parvoíces sequenciais e consecutivas - é a mesma coisa, ora lá está como isto é -; tínhamos de actualizar este blogue de alguma maneira neste novo ano. E o que é que as pessoas fazem? Falam sobre o novo ano, o que é que vão fazer e o que querem que não seja igual ao ano anterior.

Como este blogue é original pa xuxu como toda a gente já percebeu, vamos também nós falar sobre o novo ano sob a forma de um simples e singelo conselho - além do ter cuidado com a ASAE, deixar de fumar e comprar só strap-ons homolugados pela União Europeia. E o conselho é, trrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr TCHANAN:

...pois, é isso mesmo.