"

My Photo
Name:
Location: Portugal

30 August, 2007

Banhada 29



É a morte do banho 29. Proíbiram as fogueiras na praia, matando assim um dos espectáculos populares mais bonitos de Portugal. O sítio onde tem mais afluência, Lagos, e aquele que melhor conhecemos, há muito vinha perdendo a magia dos amigos à volta da fogueira cheios de chouriço e coisas que tal; com guitarrada, djambézada e mantas, onde toda a gente ia e vinha, pela noite dentro. Já para falar que cada vez menos havia menos corajosos a banhar-se no mar à meia-noite.

Em vez disso, havia festas de progressivo e de trance, que também era bem bom, muitas vezes feitas perto de mega-fogueiras que chegavam para toda a gente que estava na festa. Além de se poupar o penoso transporte da lenha para a praia, também se servia imperiais e bebidas brancas, o que dispensava a geleira. Uma inovação, mas nada má. Já não era aquela onda hippie, mas estava-se bem, sim senhora.

Agora, este ano, como um amigo lacobrigense lhe chamou, foi a Banhada 29. Ou seja, retiraram ao povo tudo aquilo a que tinha direito, e deram ao Toy e à Mónica Sintra, à Rádio X, à Câmara Municipal e às patrocinadoras marcas de cadeias de supermercados do campo, a supremacia total. O único evento, em Lagos, que marca o banho 29 é provavelmente o concerto dos bimbos na Praia da Batata.

Se estão tão preocupados com o lixo biodegradável deixado pelas cinzas das fogueiras do Banho 29, então pensem bem se, por exemplo, na Meia-praia, deveriam ter deixado os construtores civis comer aquilo tudo. É verdade que era muita gente e que as praias não estavam limpas para os banhistas no dia a seguir, mas já que a Câmara de Lagos contrata empresas privadas para fazer a limpeza da via pública, bem que podia gastar mais uns trocos e mandar mais desses para a praia. Era o mínimo que se podia fazer pelo Banho 29. Imaginamos que a degradação deva ser bem pior com a Jessica a mandar o papel do corneto para o chão todos os dias, e as perturbações ao ecosistema da zona causada pelo trânsito que os Jean-Michels Pereiras e os rosadinhos norte-europeus provocam.

Fazíamos uma fogueira de banho 29 com aquilo tudo e ainda assava um chouriço. Portugalsko, Portugalsko... que paciência, mesmo.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home