"

My Photo
Name:
Location: Portugal

15 April, 2007

PNR também joga!

Depois de Mário Machado, entusiasmamo-nos ao ponto de ir ver se no You Tube havia alguma coisa da altura que nos pudesse inspirar. Mas assim que vimos o primeiro vídeo da lista, um tempo de antena do Partido Nacional Renovador, acabou por não nos apetecer dar-nos ao esforço de mais cliques por isto. Então não é que este tempo de antena tem uma banda sonora retirada de um jogo de computador? As músicas russas do MRPP de Garcia Pereira eram cliché, mas, apesar do "low-budget", um jogo de computador! Reconhecemos logo, a música do menu do Commandos II ou III, a bombar por trás de um carequinha de bigode que discursava pelos nacionalistas - e que bem.

É de ver. Não é excepcionalmente engraçado, mas para quem reconhecer a música, é no mínimo cómico. Ah, e o segundo a discursar é o Pinto Coelho, o da polémica dos cartazes na Praça Marquês de Pombal, que está vidrado não se sabe bem no quê.

Cuidado com ele

Mário Machado, sim aquele que foi preso por posse ilegal de armas naquela manisfestação contra os emigrantes, e outras histórias passadas, que é líder dos não sei quê. O gajo é demais, é mesmo deslumbrado. Como não há filmes que tenham uma história que acabe bem para os Boneheads, basta que eles apareçam, mesmo como os maus da fita, o gajo gosta! Está lá tudo, um skinhead nacionalista que gosta do Romper Stomper, América Proibida, Assassinos Natos, Green Street Hooligans - este último é de cagar a rir, com o Elijah Wood, conhecido pela agressividade em Frodo do Senhor do Anéis e Huckleberry Finn, um caga-tacos a fazer de mauzão, no principal papel. Será que o Marinho não aprendeu que as histórias têm uma moral? Demais! Que engraçado. A foto é óptima, a designação "Proud White Nationalist" é muito boa, e o conselho no blogue "Aos nossos inimigos: se és inimigo dos Hammerskins estás condenado ao fracasso!!" mete medo que te cagas, tio. Qual brincadeira de piratas.

A sério Marinho, já tinhas idade para ter juízo. Vai ver uns Teletubbies a ver se te acalmas, mano.

Vamos lá a mostrar os bolsos, vá.


É engraçado a repressão a que se chegou. O que é verdade é que, em Portugal, as autoridades não têm a mínima confiança na população. Se quanto à sinistralidade existem razões para isso ou não, há mesmo alturas em que não se chateou assim tanto o concidadão, que justifique esta big brotherzada das operações. Observe-se, pois, a quantidade de droga apreendida este fim-de-semana na mega ultra "Operação Flutuante" da GNR, no Alentejo e no Algarve. Eis que de entre a roupa e os DVD's de contrafacção, "a GNR também apreendeu 13,5 gramas de haxixe, 0,25 gramas de "cannabis" e 11 quilos de meixão (enguias bebé)".

Cuidado com os colombianos.

12 April, 2007

Gora Euskal Herria!


Pois é, estivemos em Donostia, País Basco, uns 5 dias. Ali, tudo o que se come é bom, a paisagem é bonita, o pessoal é simpático, e mais, tem praia. Em vez de Badajoz, aconselhamos mais umas horas de viagem, e uma incursão a este paraíso ibérico, pelo qual nunca ninguém dá nada, mas que vale muito a pena. Tem só o problema do ambiente ser um bocadinho politizado, o que não afectará ninguém, a não ser os realmente impressionáveis. Mas a verdade é que, a propósito da última entrada sobre a agitação política popular, praticamente inexistente em Portugal, esta se revela de maneira intensa tanto na Catalunha, como no inevitável País Basco.

Enquanto aí estivemos, a ETA anunciou o último cessar-fogo, o que deu logo azo a uma avalanche de manifestações, vigílias, etc. Se não são os pró-separatistas, são as mães dos presos e mortos; se não são as mães dos presos e mortos, são as mulheres pela paz; se não for isso, uns putos grafitam um monumento com mensagens anti-governo/polícia. É vê-los.

Com isto queremos partilhar o nosso sentimento acerca da agitação política. Cá não se faz nada, lá são uns chatos com isso; por isso nesta questão, nem 8, nem 80.

(Parece uma moral da história das Fábulas da Floresta Encantada)