"

My Photo
Name:
Location: Portugal

29 December, 2006

Ano Velho, Mesma Merda

"Mas o que é que se passa com este país? Não é uma pergunta que se faça poucas vezes, sobre um sem número de situações. Mas sobre o seguinte assunto, a falta de originalidade da retórica encerra em si a indignação que sentimos sobre os casos de agressão e homicídio infantil - hã, cuidado -, que a nossa comunicação social adora publicitar. E aqui temos, depois da pequena Joana, no Algarve, e do caso Vanessa em Aleixo, no Norte; uma nova, a pequena Sara, de Monção. Obrigado Natal, que tanto dinheiro fazes gastar sob o signo do amor fraterno, que nem assim fazes com que pessoas absolutamente anormais maltratem crianças, chegando mesmo a matá-las. Sendo a época festiva, não nos podemos esquecer da merda que há neste mundo, que até podia lembrar-se "pá, é Natal e Ano Novo e não sei quê, vou mas é acalmar, depois já posso dar porrada à vontade".

Mas a violência recalcada e a falta de noçãoo do que é a vida, não escolhe temporadas, e quem é estúpido e anormal como essa gente, é-o em todas as alturas do ano, como também os havia entre os nazarenos, naqueles tempos anárquicos - sim ninguém da família de Yeshua tomava banho - quando Jesus nasceu - sim, é por isso que se celebra o Natal, é verdade.

A pequena Sara foi mais uma mártir, que acaba por mostrar a todos que ainda existem pessoas a viver na Idade Média - e até antes - e, como tal, merecendo ser agrilhoados, sodomizados, torturados e expostos a trabalhos forçados - isto para quem não pensa em penas de morte. A rapariga de Monção, uma criança de dois anos e meio, não pode mais lutar para ser feliz, porque a sua mãe, uma mulher franzina de 24 anos ,não a deixou - passando a expressão Floribella.

Pedimos desculpa pelo tom depressivo desta entrada, mas não pudemos deixar de lembrar estes factos, sublinhando que, neste país, há quem faça coisas mais graves que o Pinto da Costa, o José Veiga ou até o Nobre Guedes ou o Santana Lopes. E é nos casos como o da Sara, que temos que nos indignar ainda com mais fulgor que no curriqueiro Apito Dourado, ou até o Casa Pia, que passou de processo penal a político, como quem troca de cuecas, e de quem andou na cueca errada.

Vamos agora celebrar a Passagem de Ano, porque vamos continuar a desbundar a vida - ya tasse bem, ya -, claro, sendo que a merda não é nova, mas vamos lá também abrir a pestana em 2007, e começar a tomar atenção aos homo erectus que vivem entre nós.

PS: É verdade, usámos a palavra "merda", que não se enquadra no nosso hábito de não usar palavras a que se convencionou chamar "asneiras", mas se o MST critica os blogues então também não devia empregar o "filhos da puta", e ele ganha a vida e escrever.

1 Comments:

Blogger MRelvas said...

Caro amigo,não podia estar mais de acordo com o que escreveu!

Abraços

Mário

6:38 AM  

Post a Comment

<< Home