"

My Photo
Name:
Location: Portugal

22 August, 2006

Quantos Joao Jardins e que tu queres?

Mais um para a caderneta! Nas últimas autárquicas demonstrou-se que, neste país, se estivermos rodeados de amigos poderosos que patrocinem prendas aos nossos munícipes, podemos criar milícias locais, levar todos os idosos do concelho numa viagem de avião ou até mesmo ter a nossa própria rádio local, onde só passa o que queremos! Há coisas fantásticas não há, concorra já, e ganhe um mandato Funtastic Life em vários concelhos do Norte, brevemente em todo o país e Açores. E aí está mais um, a juntar aos cassiquismos do Major Valentim Loureiro em Gondomar, as censuras ditatoriais do nosso tão querido Avelino Ferreira Torres, que quase ganhava o reality-show, o saco azul de Fátima Felgueiras na terra que herdou o seu nome (e não ao contrário); Isaltino Morais em Oeiras, que está definitivamente "mais à frente" com um monocarril urbano fantástico que dá imenso jeito e não se percebe porque ninguém o utiliza; até chegarmos, este ano, a Fernando Ruas em Viseu, que queria "correr à pedrada" os funcionários do Ministério do Ambiente porque um presidente de Junta seu compadre queria autorizar um dos seus conterrâneos especializados em obras públicas de hortas e corta-fogos, levar a cabo um plano de engenharia genial para escoar uma poça de água que se acumulava numa via pública. Bem, eis que para os fãs dos métodos político-bairristas de Alberto João Jardim surge uma nova promessa: Carlos Encarnação, que, além de presidente da Câmara de Coimbra, aprendeu com o Hezbollah como se cortam ruas, como se Coimbra fosse Beirute,e se delimitam zonas de poder ilegal, criando check-points para permitir a entrada a quem reunir as necessárias condições. O governo não manda em Coimbra, que, por ser uma cidade do "saber e da cultura" (algo caduca na nossa opinião, mas quem usa e usou as vestes vampirescas sabe mais), tem o direito de cortar 300 metros de estrada e não deixar os camiões que transportam resíduos industrias acederem à cimenteira de Souselas, onde os resíduos vão ser tratados. A Câmara de Coimbra aprovou segunda-feira uma "postura municipal de trânsito" que não permite veículos que transportes materiais perigosos, mas que espertalhões hã! A co-incineração é chata, cheira mal, é perigosa, mas quem é que sabe? Alguém já viu uma? Vai ter de acontecer em algum lado não é verdade, e até porque é uma obcessão do De Socas (como uma tia nossa chama ao PM José Sócrates), e uma embirração de Manuel Alegre (que, eleito deputado por Coimbra, se bate contra a co-incineração há tempos e tempos). A Assembleia Municipal de Coimbra também escolheu, com a abstenção do PS e sob a o olhar calmo do presidente do orgão, Manuel Porto, "correr à pedrada" a co-incineração, contra a directiva governamental central, aliás, na tradição de Nobre Guedes, ex-ministro do Ambiente CDS/PP, que lançou o mote para o levantamento popular contra a campanha de De Socas em 2004: "Acho que isso devia ser sancionado, ele não devia entrar em Coimbra. Coimbra devia levantar à rua e esse senhor não devia cá entrar". Claro, isto foi antes do caso Portucale. Realmente De Socas, és um menino, ninguém tem medo do governo, nem mesmo no ContEnente.

3 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Há verdadeiros reinados em Portugal.O caciquismo local é quase tão perigoso que o terrorismo, só que ainda não se dedicam às bombas.
É verdadeiramente impressionante.
Agora, a co-incineração é outra conversa. Claro que é mais barato enfiá-la ao lado de uma população, onde já tem acessos e todas as infr-estruturas, mas é justo? Não me parece.
CT

2:21 AM  
Anonymous Anonymous said...

O meu grande sonho foi sempre ser presidenta da Cambra e fica-me muito bem o cocar de cacica das avenidas novas. Pois é... mas cortei-me com o DE Socas! Mal descopbrisse que eu era funça cortava-me o barato e o barato sai sempre caro. Não me admira que o De Socas seja um fanático da Co-incineração. Ela é um mal necessário, mas tem Co, e, quem tem co tem medo. Ocorre-me uma história do Heinz que um sobrinho meu me contava (Heinz que cheiro é este a caramelo.?..estamos queimando judeus.!). Na versão de Socas e sua mania de incinerar o co, a história ficaria assim . " Diz-me tu doce amigo e firel Costa que cheirinho raro é este que me vem do Centro?... Nada mais ó Socas que o perfume da co- incineração. Mas hoje...hoje...hum cheira-me a papel queimado! Não te espantes ó De Socas Seguimos as tuas paixões: - Hoje inaugurámos todas as co - incineradoras do país queimando funcionários públicos!!! Heil

8:43 AM  
Anonymous Anonymous said...

O meu grande sonho foi sempre ser presidenta da Cambra e fica-me muito bem o cocar de cacica das avenidas novas. Pois é... mas cortei-me com o DE Socas! Mal descopbrisse que eu era funça cortava-me o barato e o barato sai sempre caro. Não me admira que o De Socas seja um fanático da Co-incineração. Ela é um mal necessário, mas tem Co, e, quem tem co tem medo. Ocorre-me uma história do Heinz que um sobrinho meu me contava (Heinz que cheiro é este a caramelo.?..estamos queimando judeus.!). Na versão de Socas e sua mania de incinerar o co, a história ficaria assim . " Diz-me tu doce amigo e firel Costa que cheirinho raro é este que me vem do Centro?... Nada mais ó Socas que o perfume da co- incineração. Mas hoje...hoje...hum cheira-me a papel queimado! Não te espantes ó De Socas Seguimos as tuas paixões: - Hoje inaugurámos todas as co - incineradoras do país queimando funcionários públicos!!! Heil

8:43 AM  

Post a Comment

<< Home